TOP CRANE E HEAVY DUTY 2015

25 de agosto de 2015

top crane heavy duty 2015

 

 

 

NOVOS INDICADORES DO SETOR

Por Tébis Oliveira

Dados disponibilizados pelas sete empresas vencedoras do Top Crane’2015 mostram um cenário ainda dinâmico em 2014

Baseado em indicadores institucionais e de desempenho de 2014, o prêmio Top Crane’2015 traz sete empresas vencedoras das nove categorias definidas para esta edição. São elas: Guindastes Centro-Oeste em Frota Standard; Guindastes Tatuapé em Frota Full; Locar Guindastes e Transporte Intermodais em Frota Advanced e Estrutura Operacional; Elba Equipamentos e Serviços em Segurança & Treinamento; Máquinas Bolbi em Inovação; Primax Transportes Pesados em Remoção Técnica e Saraiva Equipamentos em Trabalho em Altura. A Makro Engenharia venceu na categoria Plano de Rigging

Com as duas últimas categorias – Remoção Técnica e Trabalho em Altura – a premiação ampliou seu escopo para acolher especificidades do conceito de içamento. No primeiro caso para focar projetos que, além da elevação de cargas, contemplam a montagem e desmontagem integral ou parcial de instalações industriais, seja para sua mudança física, para readequação do layout atual ou para ampliação estrutural visando à acomodação de novas linhas ou equipamentos de produção. Já a categoria Trabalho em Altura busca destacar a elevação de pessoas ampliando a divulgação do uso seguro e sustentável de plataformas elevatórias ou, caso excedidas suas limitações de alcance, de guindastes equipados com cestos aéreos.

Consolidação

A apuração das informações registradas nos formulários de inscrição revela, como sempre, uma visão panorâmica do setor, mesmo considerando-se somente os dados fornecidos pelas sete empresas vencedores do Top Crane’2015 e um cenário econômico bastante diferenciado do atual em 2014, ano-base da pesquisa.

Essas empresas somam 1.629 equipamentos, incluindo guindastes sobre pneus e esteiras, guindautos, gruas, pórticos, empilhadeiras, plataformas elevatórias e manipuladores telescópicos, que operaram 2,3 milhões de horas em 2014 ou quase 1,4 mil horas cada, equivalentes a 175 dias com jornada diária de trabalho de 8 horas. Considerando que o ano passado teve 104 finais de semana, 10 feriados nacionais e praticamente parou 30 dias entre o início o final da Copa do Mundo tem 221 dias úteis, resultando numa ocupação da ordem de 80% dessa frota.

Entre as empresas vencedoras, quatro declararam uma frota com idade média de 6 anos e três entre 5 e 10 anos. Todas investiram em sua renovação ou na ampliação, totalizando um aporte de recursos de R$ 85,7 milhões. A soma equivale a quase 12% do faturamento conjunto de sete empresas: R$ 710,2 milhões.

As sete empresas contam com 5.003 funcionários diretos, sendo 1.536 (30,7%) operadores, o que justifica os recursos de R$ 1,8 milhão investidos em treinamento com duração mínima de 14 h e máxima de 80 h por operador, conforme o valor destinado por cada companhia e o número desses funcionários. Na área de segurança foram aplicados outros R$ 4,9 milhões. Ainda assim foram registrados 52 acidentes sem afastamento e 32 com afastamento no ano. Somente uma das empresas vencedoras não teve acidentes no período. O menor recorde de dias trabalhados sem acidentes foi de 208 dias e o maior de 347, entre as que declararam o dado.

O investimento conjunto em suporte técnico foi de R$ 35,1 milhões. Somente em suas oficinais centrais, as sete empresas alocam 251 funcionários. Seis delas somam 29 oficinas regionais, que totalizam 401 funcionários e cinco possuem 19 postos avançados de manutenção. O estoque total de peças é de 24.655 itens na matriz e outros 16.121 nas filiais.

Entre os cases apresentados, que refletem a dinâmica econômica do País, temos preponderância de projetos em mineração entre os Planos de Rigging e em implantação de usinas eólicas em Trabalho em Altura. Na categoria Remoção Técnica predominam contratos na mineração e na indústria automotiva. Em Inovação, além do case vencedor, a mesma tecnologia foi defendida por duas empresas: a utilização de cilindros hidráulicos para o macaqueamento de equipamentos.

ESPECIALIZAÇÃO EM FOCO

Ganhadoras do prêmio de transportes especiais são empresas com trajetória consolidada e expertise amplamente reconhecida

 O prêmio Heavy Duty tem, nesta edição, cinco empresas vencedoras de suas seis categorias. O troféu de Frota Standard ficou com a Primax Transportes Pesados, enquanto o de Frota Full foi para a Megatranz Transportes – que também conquistou o do Case’2015 – e o de Frota Advanced para a Transdata Movimentação de Cargas Especiais. Na categoria Estrutura Operacional venceu a Transportes Pesados Minas (Transpes) e na de Segurança & Treinamento, a J.Rotaner Transportes Pesados, novata na competição.

Todas são empresas com longa trajetória e conhecida expertise no transporte de cargas excedentes e seus dados institucionais e de desempenho durante o ano de 2014 comprovam esse histórico e sua evolução. Alguns números impressionam, como o de 1.255 equipamentos da frota da Transpes, não por acaso a maior transportadora do País nesse segmento. A Transpes também possui o maior quadro funcional entre as vencedoras, com 850 empregados, dos quais 260 são motoristas. Outros destaques da empresa são os investimentos em segurança (R$ 1,5 milhão) e em renovação de frota (R$ 40 milhões) no ano-base da pesquisa.

Também bem posicionada em termos de frota, a Transdata conta com 699 equipamentos, assegurando esse número e uma idade média de 5 anos do conjunto com um investimento de R$ 35 milhões em sua renovação e ampliação. Com 300 funcionários, sendo 90 motoristas, a transportadora declara a realização de 900 mil horas trabalhadas em 2014. Também são dela a maior capacidade de tração entre as concorrentes pelo uso de caminhões de 750 t, e o maior número de linhas de eixo modulares autopropelidas (SPMT), num total de 120 linhas, a maior frota do gênero na América Latina, segundo a empresa.

Na Megatranz, a frota de 286 equipamentos, com idade média entre 5 e 10 anos, operou 561,8 mil horas em 2014. O investimento em sua renovação e ampliação foi de R$ 11,6 milhões no ano e o investimento na área de suporte técnico foi de R$ 103,7 mil. A empresa venceu a categoria Case’2015 do prêmio Heavy Duty com a operação de transporte de um submarino Tamoio, com peso de 1.280 t, para o Arsenal da Marinha do Rio de Janeiro (ARMJ), com redução de custos, prazos e equipamentos.

A Primax, com 220 funcionários, foi a empresa que mais investiu, entre as vencedoras do prêmio, no treinamento de seus 60 motoristas – R$ 200 mil -, assegurando a cada um uma carga de 14 horas de treinamento no ano. Também foi a que mais investiu em suporte técnico – R$ 3 milhões, área que conta com uma oficina central e uma regional, duas equipes volantes de manutenção e um estoque de reposição de 5.800 peças. A frota de 119 equipamentos, com idade média até 5 anos, recebeu investimentos de R$ 10 milhões para sua renovação e ampliação.

A J.Rotaner, que concorre pela primeira vez ao Heavy Duty, possui 153 funcionários e 95 motoristas. Sua frota conta com 161 equipamentos que operaram 396 mil horas em 2014. A empresa, que investiu R$ 850 mil em suporte técnico, tem um estoque de 6 mil peças de reposição, o maior entre as vencedoras da premiação. Também é da empresa o menor número de acidentes de trabalho registrados no ano passado – um acidente com afastamento – e o maior recorde de dias trabalhados no período – 275 dias.

 

 

Tags: , , , ,


Deixe um comentário


Veja também