SIMPLES, MAS INDISPENSÁVEIS

29 de julho de 2015

portico hidraulico guia ponte rol 15Quando o guindaste não cabe no local em que precisará se posicionar para a movimentação da carga, a alternativa para concluir a operação é o uso de pórticos hidráulicos. Esse princípio, conhecido por todos os profissionais do setor, revela a importância desse equipamento, talvez um dos mais mobilizados em operações de rigging, de carga e descarga e na movimentação de máquinas de grande porte, como serviços de remoções e montagens industriais, entre outros.

Além de substituir o guindaste, ele também pode ser utilizado em lugar de grandes empilhadeiras, nas situações em que falta espaço para movimentação da carga. Como os pórticos chegam ao local de operação em módulos pequenos, desmontados, podem ser instalados em áreas confinadas, com limitações de pé direito ou no interior de galpões industriais, elevando cargas de até 2.000 t a alturas consideráveis. Operações que combinam sua utilização com módulos de transporte autopropelidos (SPMT) também são usuais em montagens de pontes e de máquinas industriais de grande porte.

Por esse motivo, trata-se de um equipamento indispensável na frota de locadoras de guindastes, empresas de transportes especiais e de remoções industriais, caracterizado por seu baixo custo de mobilização e operação. Tal versatilidade também se deve ao fato de que ele geralmente é autopropelido, contando com rodas ou roletes na base de cada torre, para seu deslocamento sobre caminhos de rolamento ou trilhos especiais. Com isso, o pórtico ganha mobilidade, permitindo a movimentação e posicionamento de cargas pesadas.

portico hidraulico guia 2 ponte rol 15Segundo José Carlos Carvalho, gerente comercial da Enerpac, os equipamentos da marca são controlados por sistemas eletrônicos sem fio e os movimentos de cada torre do pórtico são sincronizados, distribuindo com precisão as cargas nas operações de elevação e descida, para total segurança do serviço. “Completando a lista de acessórios, temos ainda as vigas de cabeçotes e as unidades de deslocamento lateral, que permitem movimentar a carga de um lado para o outro”, diz ele.

A fabricante holandesa, que atua no mercado brasileiro há cerca de três anos, oferece equipamentos de 60, 150, 200, 400 e até 1.000 t de capacidade de carga, movimentados por bomba elétrica. “Eles também podem ser configurados para operar com acionamento a diesel, em modelos convencionais lineares ou com uma trava que permite seu tombamento e facilita o transporte do pórtico.”

Obviamente, todo o serviço deve seguir as determinações de normas técnicas, para sua total segurança, como a ASME B30.1, que regula a fabricação, montagem e operação do equipamento. Esses recursos permitem a montagem do equipamento com duas, quatro ou oito torres, viabilizando inúmeras configurações para a movimentação dos mais variados tipos de cargas, conforme explica o engenheiro Mario Tundisi Filho, presidente da Lift Equipamentos, que distribui na América Latina a linha de pórticos hidráulicas da norte-americana Lift System, líder do mercado.

Controlados por computador

Segundo ele, os equipamentos da marca são disponibilizados em vários modelos, que podem se dividir basicamente em três categorias de pórticos autopropelidos: os elétricos, com tanque hidráulico acoplado à torre; os equipados com mesa de comando hidráulica separada, que podem ser movidos a energia elétrica, gás propano ou diesel; e os dotados de cilindro de elevação tipo caixa, que também adotam diferentes sistemas de acionamento ou combustíveis.

portico hidraulico guia 3 ponte rol 15Na primeira categoria estão os modelos mais simples e aplicados em movimentações de menor porte. Já os pórticos com mesa de comando hidráulica independente se destinam a operações mais pesadas, contando com modelos de 500 t e até mesmo 800 t de capacidade. Entretanto, é na terceira categoria, dos que contam com cilindro de elevação tipo caixa, que se encontram os modelos destinados a movimentações mais complexas, pois são totalmente computadorizados e dispõem de sistemas de sincronização dos movimentos.

Nela se incluem modelos capazes de movimentar 500 t e até mesmo 1.000 t de carga, bem como outro que eleva 250 t em cada torre, o que confere a ele uma capacidade total de 2.000 t, quando configurado com oito torres. Empregando dois modelos dessa linha da Lift Systems, a Transdata concluiu uma operação inédita, em 2014, com a qual foi agraciada este ano com a premiação da entidade internacional SC&RA (Specialized Carriers & Rigging Association), na categoria Trabalho de Rigging.

Para atender a um contrato com a siderúrgica Gerdau, na montagem do laminador de chapas grossas da usina de Ouro Branco (MG), a empresa mobilizou dois pórticos da marca, sendo um de 1.000 t e outro de 500 t. Na etapa mais complexa da operação, noticiada na edição 40 da Crane Brasil, eles foram empregados na movimentação e verticalização de um conjunto de peças de 325 t, conhecido como plate mill, proporcionando ganhos de custo e de prazo ao serviço. Segundo especialistas, trata-se da primeira vez em âmbito mundial que se utilizou pórticos para a verticalização de plate mill de laminador com tais dimensões (14,63 x 05,60 x 02,21 m) e peso.

Tags: , , ,


Deixe um comentário


Veja também