OPERAÇÕES DE EXCELÊNCIA CONSAGRADAS

12 de janeiro de 2017

 

Realizada em 17 de novembro passado, no auditório do Palácio dos Transportes, sede do SETCESP (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo e região), a cerimônia de entrega do prêmio Top Crane’2016 reuniu os principais agentes do setor de elevação, movimentação e transporte de cargas especiais e excedentes do país. Entre os mais de 130 convidados, estiveram presentes executivos das empresas vencedoras, especialistas, consultores e representantes de entidades e de fabricantes de equipamentos, que patrocinaram ou apoiaram a premiação.

O evento celebrou oito cases, que trataram de operações realizadas por empresas brasileiras, até 30 de setembro de 2016, e foram considerados exemplares segundo critérios de planejamento, criatividade,inovação tecnológica e economia de custos e prazos.Nesta edição, a sétima consecutiva, o prêmio Top Crane teve os seguintes grupos: Içamento, com quatro categorias; Plano de Rigging; Inovação; Remoção Técnica e Trabalho em Altura.

 

 

A Locar Guindastes e Transportes Intermodais, que também conquistou um troféu Heavy Duty (veja matéria nesta edição), ganhou o Top Crane’2016 em “Içamento – Case Infraestrutura” e “Trabalho em Altura”. As operações premiadas foram, respectivamente, a de transporte, içamento e posicionamento de uma ponte para a Ferrovia Centro Atlântica (FCA) e a montagem de equipamentos no projeto de expansão da planta de clínquer da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) com o emprego de 25 plataformas aéreas, ambas em Minas Gerais (MG).

Ainda no grupo Içamento, a Guindastes Tatuapé venceu o “Case Construção” com a elevação do campanário de sinos da Basílica Nossa Senhora Aparecida, uma estrutura de 66 toneladas, em Aparecida do Norte, no interior paulista. O “Case Serviços” premiado foi o do Grupo Cordeiro, que içou os componentes do primeiro Robô Da Vinci, para realização de cirurgias, em um hospital de Fortaleza (CE). Já o Consórcio Montcalm/MIP, formado pela paulista Montcalm Montagens Industriais e pela mineira MIP Engenharia ganhou o “Case Mineração”, com a operação de içamento de um componente do sistema de britagem móvel no projeto S11D, nova planta de minério da Vale, em Canaã dos Carajás (PA).

Após uma disputa bastante acirrada com outros concorrentes do mesmo grupo, a IPS Engenharia de Rigging obteve o troféu Top Crane o Plano de Rigging elaborado para a operação de içamento que a Tatuapé concretizou. No grupo “Inovação”, venceu o Grupo Darcy Pacheco que, junto com a General Eletric (GE), substituiu o uso de elevadores de carga pelo de guindastes para o içamento de rotores e pás e para a montagem de torres de concreto em parques eólicos. A ganhadora do grupo “Remoção Técnica” foi a Primax Transportes Pesados, com a operação de troca de seis engrenagens, com peso de 15 t e 4 m de diâmetro cada uma, para a linha de prensas de uma montadora de carros, em Resende (RJ).

DESTAQUES DA CARGA SUPERPESADA

O troféu Heavy Duty’2016 foi destinado aos melhores cases inscritos em quatro modalidades do transporte de cargas superpesadas: “Internacional”, “Intermodal”, “Carga Excedente” e “Carga Indivisível”. Respectivamente, foram vencedoras as empresas Primax Transportes Pesados – que também conquistou o prêmio Top Crane’2016 no grupo “Remoção Técnica” (veja matéria nesta edição); a Locar Guindastes e Transportes Intermodais (Top Crane em “Case Infraestrutura” e “Trabalho em Altura”); a J.Rotaner Transportes de Cargas e a Transdata Movimentação de Cargas.

Diferenciais

A Primax venceu a premiação no grupo “Transporte Internacional” com a remoção de 10 transformadores de grande porte (80 t) e de componentes acessórios, instalados em uma planta brasileira, e seu transporte até o Chile. Apenas para o transporte dos acessórios foram empregadas 12 carretas Facchini, de 16 m de comprimento cada. Foram utilizados, ainda, 22 cavalos mecânicos Volvo (6 FH 520 e 4 FH 440) e 12 Scania (P340), além de 10 pranchas Hidro Randon/4 eixos Pastre e uma linha de eixos Faymonville (pescoço + 6 eixos). No apoio, aturaram dois guindautos PHD 42000.A operação, que durou 60 dias, teve como principais desafios o trânsito entre países com processos alfandegários diferenciados, o planejamento da rota e o volume e tipo de carga transportada. Para superá-los, a Primax formatou um projeto turn key, assumindo integralmente todas as etapas do processo.

No grupo “Transporte Intermodal”, o case premiado, da Locar, conjugou os modais rodoviário e marítimo para realizar a pesagem, transporte e load out de 10 módulos de plataformas marítimas, pesando de 190 a 1.700 t, num volume total de 8.500 t. A pesagem dos componentes foi realizada com um sistema Enerpack e balsas marítimas de 5.000 e 2.000 t. Para o load out, foram empregadas 72 linhas de eixo autopropelidas Goldhofer, divididas em três  conjuntos de 24 eixos, acoplados a um sistema Power Pack cada. A carga foi deslocada por 1.000 m e embarcada em balsas da Locar, com capacidade para 5.000 t, seguindo até o píer do Terminal Portuário de Itajaí (TEPORTI), em Santa Catarina, para embarque em um navio. Com duração de 40 dias e percurso total de 3 km, a operação resultou em uma economia de custos para o contratante – Enterprise Logística – da ordem de 5%, ao eliminar a necessidade de mobilização de dois cavalos mecânicos, com os respectivos motoristas e auxiliares.

No caso da J.Rotaner Transportes de Cargas, também foi a logística empregada na movimentação de uma coluna de destilação autoportante, para a MWM Indústria Química, que destacou a empresa como Heavy Duty’2016, no grupo “Transporte – Carga Indivisível”. As dimensões do equipamento – 56.818 kg, 43 m de comprimento e 5,20 m de diâmetro – limitavam não só seu desembarque em portos brasileiros, como seu transporte rodoviário até a cidade de Palmeira, destino final da carga embarcada em Nova Jersey (EUA). Para resolver o impasse, a J.Rotaner estudou as condições de três portos – Paranaguá (PR), Santos (SP) e Itajaí (SC), optando por este último, por questões estruturais mais adequadas da instalação e menores custos (economia de 180%) e prazos (redução de 10 dias no cronograma inicial). Foram necessárias, ainda, melhorias nas vias de saída do porto e na estrada municipal que liga a rodovia SC-114 à planta da empresa e também nesta. Para vencer a distância de 268 km, de Itajaí a Palmeira, foram empregados um cavalo mecânico Scania 420 6×4, uma prancha rebaixada Librelato de três eixos e um dolly de arrasto Randon.

Premiado no grupo “Transporte – Carga Excedente”, o case da Transdata tratou do transporte de um rotor com 316 t e dimensões de 8,83 x 8,83 x 5,05 m, por cerca de 600 km, entre Araraquara e o Porto de Santos (SP)., com destino à UHE (Usina Hidrelétrica) Belo Monte (PA). Na operação, foram utilizados três cavalos mecânicos Volvo FH 750 8×4 e outros dois de reserva, e dois conjuntos de 18 linhas de eixo MS Cometto, além de uma viga Randon (320 t) e do guindauto Madal Palfinger MD300 (30 t). A rota de transporte exigiu adaptações na viga, reforços estruturais em pontes, viadutos e pavimentos viários, caminhos alternativos que quase duplicaram a distância entre Araraquara e Santos e até o tráfego na contramão na descida da Serra do Mar. Os custos foram reduzidos em 40% e o cronograma, inicialmente de 75 dias, foi cumprido em 31 dias.

Networking

Em um momento de reestruturação do mercado, como o atual, a proximidade entre fabricantes e usuários de equipamentos constitui uma oportunidade para estreitar relações e desenvolver novos negócios. Esse é o motivo que levou a XCMG a confirmar mais uma vez o seu patrocínio aos prêmios Top Crane e Heavy Duty, conforme explica Deivid Garcia, gerente de Vendas da empresa. “O mercado brasileiro alterna momentos de retração e de expansão e o nosso papel é o de estarmos sempre prontos para identificar o que os clientes esperam de nós”, diz ele. O executivo destaca que, como uma marca líder no segmento, a empresa optou por uma cota máster de patrocínio, “diante da relevância do evento para o mercado e do nível dos profissionais que ele reúne”.

Rodrigo Bossa, gerente de Pós-Vendas de Guindastes Móveis e sobre Esteiras da Liebherr, destaca o encontro como uma oportunidade de trabalhar e alimentar o networking com todo o mercado. “É um momento de dificuldades para todo mundo e, por isso, precisamos estar mais unidos, com uma parceria mais estreita, para fortalecermos os relacionamentos e superar essa fase”.

Diretor de Vendas e Suporte ao Cliente da Tadano, Yasuaki Kishimoto também considera a cerimônia de entrega dos prêmios Top Crane e Heavy Duty uma ocasião para encontrar e promover a troca de ideias entre clientes da marca e players do setor.

O gerente comercial da Verope do Brasil, Carlo Cesar Rangel, diz que o apoio ao evento, pela primeira vez, “segue a estratégia global do grupo de difundir as vantagens dos cabos de aço especiais, principalmente em um encontro que reúne profissionais altamente qualificados da indústria brasileira de elevação de cargas”. Segundo ele, a meta da multinacional, que se estabeleceu no país em 2015 e já dispõe de estrutura para atendimento aos mercados de O&M e de reposição, é conquistar um market share de 30% desse segmento, incluindo o Brasil e demais países da América do Sul.

Para Celso Masson, empresário e diretor do SETCESP que, pelo segundo ano consecutivo apoia o evento, a premiação é um estímulo a conceitos que deveriam ser regra em todas as empresas do setor: qualidade, segurança,capacitação de pessoal e inovação. “É um prêmio importantíssimo para o segmento e, portanto, também para nós, do SETCESP. Ficamos muito orgulhosos e honrados por receber o evento em nossa sede, numa parceria que, acredito, também acaba por conferir um peso ainda maior à premiação”, explica.

Reconhecimento

Entre os vencedores da premiação, a opinião unânime é que o prêmio Top Crane certifica a excelência de capacitação, execução e performance das empresas do setor, ao destacar operações exemplares de elevação de cargas. Daniel Garzon Rodrigues, diretor operacional da Guindastes Tatuapé, por exemplo, avalia que o case premiado na categoria “Construção” foi um trabalho muito bem detalhado e realizado, em parceria com a IPS Engenharia de Rigging. “Além de bastante complexa, foi uma operação inédita no Brasil, envolvendo uma estrutura importada”, justifica.

Aldelfredo Mendes, diretor comercial do Grupo Cordeiro, diz que “o prêmio é um reconhecimento nacional do planejamento e trabalhode uma equipe muito competente. É muito importante, para nós, mostrar cada vez mais ao mercado que o Grupo Cordeiro está preparado para atender as demandas do segmento de elevação e movimentação de cargas e que os clientes podem contar conosco como parceiros”.

“Viabilizamos a operação em função da disponibilidade em nossa frota de um guindaste muito específico para essa demanda, um modelo telescópico sobre esteiras de 220 t, da Liebherr”, explica Paulo Simonsen, diretor da Montcalm Montagens Industriais, que integra o Consórcio Montcalm/MIP. De acordo com Sérgio Luís de Matos Freiha, gerente de logística e suprimentos da MIP Engenharia, os contratos de montagem do consórcio em vários projetos, além do realizado para a Vale, que ganhou a premiação, estão permitindo manter em plena ocupação toda a frota de guindastes das duas empresas.

“Não sendo repetitivo, o prêmio é esperado dentro da companhia todos os anos. Ficamos torcendo, interessados. Incentivamos a participação de nossos colaboradores para definir os melhores cases que serão inscritos. Ganhar premiações como essas mostra um pouco da capacidade da empresa”, explica Marcello Mari, diretor comercial da Locar Guindastes e Transportes Intermodais que, segundo ele, tem buscado diferenciais de inovação em suas áreas de negócios. “As soluções apontadas nos nossos dois cases vencedores são um exemplo desses diferenciais, gerando economia de custos com muita segurança e responsabilidade”, considera o executivo.

A IPS Engenharia de Rigging recebeu a notícia de que foi agraciada com o Top Crane’2016, na modalidade Plano de Rigging, com um misto de satisfação e de comprometimento com o mercado, conforme explica Edvaldo Peixoto, diretor da empresa. “Trata-se de um prêmio muito respeitado pela indústria de elevação de cargas, o que reforça nossa vocação para a oferta soluções de engenharia ao setor”, ele afirma. O executivo ressalta que a IPS está apostando em novos projetos de infraestrutura, especialmente no setor portuário, e avalia que o atual momento de reestruturação servirá para depurar o mercado.

Antonio Luiz Leite

Para Antonio Luiz Leite, diretor da Primax Transportes Pesados, a conquista do Top Crane’2016, no grupo Remoção Técnica, coroa os esforços da equipe no atendimento às demandas do mercado. “A premiação incentiva nosso pessoal e mostra que estamos no caminho certo”, diz ele, ao ressaltar o posicionamento da empresa como um provedor de soluções completas, que abrange a operação de remoção, planejamento e toda a engenharia envolvida. Além dessa categoria, a Primax também foi agraciada com o Heavy Duty’2016 na modalidade Transporte Internacional.

Adauri da Silva e Emmanuel Demidover

Emmanuel Demidover, coordenador de Projetos do Grupo Darcy Pacheco, vencer o Top Crane’2016 no grupo Inovação, “é um marco dentro dos projetos de energia eólica, nossa principal área de atuação. Com esse prêmio podemos ser bem reconhecidos por outros clientes dentro desse segmento”. Para Adauri da Silva, um dos fundadores do grupo e hoje seu CEO e diretor comercial, o case premiado requereu horas de estudo e planejamento para chegar a uma solução adequada. “O reconhecimento desse trabalho, através da premiação, é muito gratificante para todos nós”, diz o executivo. Além das divisões Pacheco Logística e Darcy Pacheco, o grupo está atuando no setor eólico há dez anos, através da DPS Wind, não apenas como locador de equipamentos, mas como provedor de soluções integradas para os projetos.

Estímulo

Para as empresas premiadas, o troféu Heavy Duty’2016 significa não apenas a constatação de que os esforços conjugados de suas equipes de planejamento e execução tem sido bem-sucedidos, como ainda um incentivo contínuo pela maior excelência operacional de forma cada vez mais sustentável.

“Esse reconhecimento nos motiva a trabalhar ainda mais intensamente em 2017, quando esperamos uma retomada do mercado, pois observamos que, em função da maior competitividade no setor, os clientes esperam padrões cada vez mais elevados de segurança e respeito ao meio ambiente nas operações”, diz Antonio Luiz Leite, diretor da Primax.

José Renato Felício

Para José Renato Rodrigues Felício, presidente da J.Rotaner, a conquista do Heavy Duty’2016 representa um diferencial no mercado, “demonstrando aos clientes os nossos esforços em desenvolver a solução mais adequada para suas necessidades”. Segundo o executivo, a empresa vem diversificando suas atividades para enfrentar as turbulências do mercado. “Planejamos a abertura de uma filial na Bahia, em 2017, para atender aos projetos eólicos na região, mas também investimos em novos negócios, como o transporte de cargas fracionadas, especialmente para o setor metalúrgico”, diz ele.

Luiz Natal Laurenti

“Ficamos satisfeitos com esse reconhecimento, que brida os esforços da nossa equipe no atendimento aos clientes”, comemora Luiz Natal Laurenti, diretor de operações da Transdata. Ele ressalta que, devido à grande diversificação dos negócios, a Transdata vem mantendo as atividades dentro dos níveis planejados e está prospectando novos mercados, com foco na América Latina, para a ampliação da carteira de contratos.

 

 

Leia também:  FABRICANTES, LOCADORES E TRANSPORTADORES ACREDITAM NA RETOMADA EM 2017

 

 

 

 

 

 

Tags:


Deixe um comentário


Veja também