14 PONTOS PARA UMA OPERAÇÃO CORRETA

29 de outubro de 2017

14 pontos oper correta segur 14A operação com guindastes não é brinquedo para crianças. Em países do primeiro mundo, o operador de guindaste – seja ele de que tipo ou capacidade for – deve possuir carta de habilitação, emitida por órgão certificador credenciado. Lamentavelmente, no Brasil e nos demais países da América do Sul, não há este tipo de exigência. Por outro lado, os proprietários de guindastes estão cada vez mais conscientes da necessidade da formação adequada dos operadores de seus equipamentos, pois o seu patrimônio está nas mãos do operador, assim como a integridade das cargas, pessoas e demais bens materiais que poderão estar envolvidos em caso de acidente.

A norma brasileira NBR 14768, de novembro de 2001, especifica um equipamento articulado e extensível, instalado sobre um veículo de carga destinado ao levantamento e movimentação de cargas. Além disto, estabelece os requisitos construtivos e os do circuito hidráulico e válvulas de segurança, além da identificação e instalação de um guindaste articulado.

A ATENÇÃO FAZ A DIFERENÇA:

1) O conhecimento da carga, seu peso, dimensões, pontos de içamento, etc.

2) O local de onde e para onde será movimentada a carga também deverá ser previamente conhecido.

3) Escolher, com muita atenção, o local, (qualidade/compactação do solo; existência de galerias subterrâneas, etc.) onde serão e em cada um dos pontos de apoio onde estará distribuído o peso do guindaste + carga sobre as sapatas estabilizadoras.

4) A escolha do guindaste e sua respectiva integração veicular devem estar adequadas para a carga a ser movimentada.

5) O operador do guindaste deverá estar capacitado e com total conhecimento das reações do conjunto guindaste + caminhão.

6) O guindaste deve estar equipado com dispositivo de segurança para inibir/limitar sua operação fora do gráfico de cargas.

7) A integração veicular do guindaste com o caminhão deve ter um projeto, o qual deverá ser executado e assinado por um engenheiro habilitado, assim como obedecer as leis vigentes tanto dimensional quanto de distribuição de carga sobre os eixos (“Lei da Balança”).

8) Os materiais e demais acessórios do sobre-chassi ,que fazem parte da integração veicular, devem ser escolhidos com base em estudo de estabilidade do conjunto caminhão + guindaste.

9) Abrir completamente os braços estabilizadores do guindaste e travá-los antes de iniciar a operação de içamento da carga.

10) Os suportes sobre os quais as sapatas estabilizadoras estarão apoiadas deverão estar aptos e adequados para suportar a carga e distribui-la igualmente sobre o solo.

11) Os freios de estacionamento do veículo devem ser acionados. O contato dos pneus com o solo, no caso de guindastes articulados, é mandatório para garantir a estabilidade do conjunto.

12) Os suportes /equipamentos para suspensão da carga devem estar em perfeitas condições de uso.

13) Os movimentos do guindaste durante as operações elevação/abaixamento da carga não devem ser bruscos.

14) Exija de seu fornecedor de guindastes os estudos de estabilidade e distribuição de cargas sobre os eixos do caminhão e confronte esse estudo com a instalação realizada pela empresa responsável pela integração veicular.

 

Tags: , , , , , , ,


Deixe um comentário


Veja também