EMPILHADEIRAS: FORNECEDORES INVESTEM NA NACIONALIZAÇÃO

16 de Janeiro de 2017

 

Por Redação Crane Brasil

Durante o ano de 2016, houve uma disputa acirrada de mercado entre os fabricantes de empilhadeiras e paleteiras. A retração da indústria e, de resto, de toda a economia levou os diversos fornecedores a abrir o leque de opções, incluindo serviços, venda de seminovos, locação e novos produtos. Nesse último caso, uma das opções – que deve repercutir favoravelmente nos próximos anos, e contribuir para a renovação da frota em um novo patamar de eficiência e qualidade – foi a nacionalização de equipamentos, franqueando o acesso dos clientes à linha Finame e ao cartão BNDES.

 

Os modelos de paleteiras com torre Hyster S1.6AC e Yale MS16, marcas tradicionais e representadas no país pela Somov, do Grupo Sotreq, por exemplo, começaram a ser fabricados no Brasil. Ambos os modelos possuem garantia total de 1 ano ou 2 mil horas, extensível a 2  anos ou 4 mil horas aplicados ao trem de força.

 

 

 

 

 

Já o Grupo Kion, controlador de sete marcas, dentre as quais a Linde e Still, começou a fabricar, em Indaiatuba (SP), a empilhadeira elétrica de três rodas Still RX 50-16. É a primeira de sua classe no país, com motor trifásico de 24 volts e capacidade de carga residual que garante boa performance, em atividades convencionais e em carga e descarga de caminhões e contêineres. A RX 50 tem capacidade de carga de 1.600 Kg, elevação máxima de garfos de 6, 07 m e velocidade de deslocamento de 12 e 12,5 km/h, respectivamente, com e sem carga.

 

 

A Paletrans, com sede em Cravinhos (SP), do mesmo modo, lançou o rebocador elétrico PR40 com produção 100% nacional. Trata-se de um equipamento versátil de reboque com capacidade para até 4.000 kg. Equipado com motor de tração de 3 kW em corrente alternada, o RP40 tem freio regenerativo, freio de estacionamento eletromagnético, direção elétrica progressiva e timão de direção ergonômico, com regulagem de altura. Sai de fábrica equipado com estrobo, farol de movimentação, alarme sonoro de movimento e botão de emergência.

 

 

 

 

Outra novidade no ano foi o lançamento de um carregador de baterias pela Retrak Empilhadeiras. Locadora e representante de equipamentos Linde e Still, o desenvolvimento do carregador baseou-se na própria experiência da empresa da gestão de sua frota própria. A premissa básica é a automatização do carregamento, reduzindo as falhas humanas que comprometem a segurança e a vida das baterias tracionarias em campo. Nesse sentido, o carregador Retrak garante: abastecimento de água sem intervenção humana, cargas de equalização automáticas, término da carga por dV/dt e desconexão sem centelha.

 

Tags: , , , , , , , ,


Deixe um comentário


Veja também